quinta-feira, 19 de junho de 2008

Não somos mais do que um teclado genético...

Quem já teve o prazer de tocar música, sabe que não há emoção mais doce, do que acariciar as teclas frias dum piano, ou sentir a vibração de uma corda de viola acabada de tocar...

Quem já tocou percebe a satisfação de saber que, com cada nota tocada, estamos a criar algo.

É certo que a sua beleza e duração são mínimas...
mas a junção de todas estas pequenas partículas de beleza infíma, criam algo absolutamente avassalador...

Quem já tocou sabe o orgulho que cresce à medida que aprendemos a tocar a música com as notas todas e com o ritmo certo...
o orgulho de quem faz renascer uma obra feita por outrem e lhe dá um pouco de si...
e o orgulho gigantesco, quando pela primeira vez, olhamos para uma melodia feita por nós...

Dizem que a música é o alimento da alma...isso para quem ouve...
mas para quem a toca...
Para quem a toca a música rouba os sentimentos e depois devolve-os, límpidos, em cada nota, em cada silêncio perdido, em cada compasso de espera...

A mim... a música roubou-me a alma à muito tempo...
vendi-a sem me aperceber, em troca do mundo que ela me ofereceu...
(acho que não fiquei a perder...)
Para mim... a música é vida...
e quando me sento à frente do piano, ou com a viola nas mãos...
o mundo volta a fazer sentido...

Tocar uma música faz-nos muitas vezes desesperar, pensar em desistir, andar para a frente e para trás sem saber como sair daquela nota que sai mal... É preciso muita paciência, muito treino, horas passadas a aprender aqueles dois compassos que não estão bem...
Mas depois...
depois vale tudo apena...

Continuo a não conseguir arranjar melhor analogia para aprender a tocar uma música...
para mim tocar uma música parece-se incrivelmente com...
viver uma vida...


...em busca da mão certa para tocar a melodia da nossa vida...


domingo, 8 de junho de 2008

this blood

Silence all around me...

yet there is a tiny sound...
like water droping...

a continuous sound...

not getting bigger, not getting thiner...

just the same sound...
the same boring sound, dull,
everlasting...

nothing changes in this silence...
(like nothing changes in my life...
do what i may...
the ending is always the same...
it's always the ***ck**g damn way...)

and still the tiny drops fall...

i look to the pool at my feet...

eventually the drops will end...
eventualy the blood will end...
i say this cause i know
the wound won't heal...
(they never do...
i can count them all...
they all left scars...
the trouble is that this one
juts re-opened...)

and when my heart is empty...
of this...
this blood

there will be no more sound...

only silence...

and peace...
please just make it end fast...




quarta-feira, 4 de junho de 2008

not the way i wanted....

the answer is always no...

well... ok...i am saying it wrong...

the answer is "(...) but..."

and it is me that seals my doom and finishes the sentence...
which convicts my feelings to stay locked in a cell...


"not the way i wanted..."


terça-feira, 3 de junho de 2008

like a leaf....

today i am just simply tired...
and sad...
really really sad....
A morning breeze through my window
Some sun rays gone strange
There is one on my pillow
Waiting for someone to wake
Waiting for someone to break




today i feel defeated...
Makes me feel just like a leaf

and broken to the bone...
beyond mending...
Like a leaf in the breeze
In the morning but still asleep
Slowly falling to the ground Without a sound








i wish...
if...
Morning breaks in the shadows
And mist from the near lying lake
Making shapes of the willows
Outside my window they wait
waiting for someone to take


But there are no more ifs for me...
Makes me feel just like a leaf
nor more wishes....

today is just looking up...
away....
Like a leaf in the breeze
In the morning but still asleep
Slowly falling to the ground Without a sound






run as fast as i can....

I say please, please believe me
If I would stay
just for the day
I would always be around


directly to the train that is coming against me...

Slowly falling to the ground
Without a sound