quinta-feira, 3 de abril de 2008

Bones ou então Editors (again)

"If we run they'll look at the back room where we hide all the feelings"

e foi num cenário preto e com fumo, numa voz poderosa e grave que o senhor Tom Smith
começou um dos melhores concertos que tive o prazer de ouvir...
Logo a seguir deste início arrepiante o pano preto caiu e o ritmo contagiante de An End has a Start, Blood e Bullets pôs o campo pequeno a saltar como nunca...
Numa interrupção brilhante, seguiram-se o Weight of the World e o Escape the Nest, só para recomeçar rapidamente o ritmo com Lights..
When Anger Shows antecedeu uma das músicas do novo album (Banging Heads) que mostrou que Editors ainda tem muito para dar e que não se vão ficar por estes dois albuns.
A surpresa da noite foi a versão da música Lullaby dos Cure, como o senhor Tom Smith disse: "this was a music by the Cure, and this is one by the Editors", e referia-se à contagiante All Sparks, a que seguiu um brilhantemente tocado Munich que pôs o público a cantar extasiado. Depois disso apenas podia vir um Push Your Head Towards the Air para acalmar os ânimos, seguido de um Bones, cantado "with a pleading and suffering look" pelo Senhor da noite!
O fim foi para Fingers in the Factories, que pôs o público todo a saltar!
E partiram do palco...mas toda a gente sabia que ainda faltava, pelo menos uma música!
Foi com Racing Rats, que puseram o pavilhão a cantar e saltar, para apenas o acalmar com uma música do novo album (muito esperado).
Para terminar, e desta vez de vez, ficou um belissímo Smokers Outside the Hospital Doors, que tocou e encantou a multidão expectante...

Deste concerto ficam músicas brilhantes, um espectáculo simples, eficaz e muito bem conduzido pelo vocalista, que não deixou de incluir os restantes elementos da banda ao barulho.

Um pequeno aparte sobre a banda inicial, The Mobius Band, que apareceram completamente "high" e apesar da pouca
atenção do público acabaram por dar um bom espectáculo.

Por fim, para acabar bem a noite, tem-se a dizer que descobri que Muse vêm cá!!!
and that really made me jump! [well if you could come with me would be even more spectacular...]



But anyway i'll leave you Bones for you to hear...
(embora haja alguém um pouco desafinado que está a cantar em background...
)


"How can you always be late for your arrival?

You know I'd forgive you every single time

Retreat, retreat
I've fallen at the low tide
Oh retreat, retreat
And meet me by the quayside

In the end all you can hope for
Is the love you felt to equal the pain you've gone through

Are your eyes showing off for mine
Your face in my hands is everything good I need

The system's put in place, put there to protect us
For you I'd throw a lifeline every time

Oh Retreat, retreat
I've fallen at the low tide
Now retreat, retreat
And meet me by the quayside

In the end all you can hope for
Is the love you felt to equal the pain you've gone through

Are your eyes showing off for mine
Your face in my hands is everything good I need

Bones, starved of flesh
Surround your aching heart
Full of love

Oh bones, starved of flesh
Surround your aching heart
Full of love

Bones, starved of flesh
Surround your aching heart

Bones
Oh bones

I watch as your eyes show off for mine
I watch as your eyes show off
I watch as your eyes show off for mine
I watch as your eyes show off"

terça-feira, 1 de abril de 2008

Once more...this time with feeling...

Encontro-me mais uma vez numa encruzilhada, numa daquelas bem grandes, com tantos caminhos que basta-me virar um cm e estou a olhar para um mundo novo, a descobrir, um futuro mesmo à minha frente, como o sol a brilhar no horizonte...
existe tanta coisa que pode depender destas próximas semanas,
tanta coisa que eu quero fazer, que quero compreender e que gostaria de dizer e fazer perceber....
Estou com muito medo de desperdiçar novamente oportunidades, quero [para variar] sair-me bem em algo que é importante para mim...
Neste preciso momento eu estou aterrorizada, cheia de medo de perder tudo,
de perder aquele instante que quero falar ou aquela altura em que tenho de avançar. Tenho medo de que, no momento em que tudo pesa na balança, eu simplesmente olhe para o lado, enquanto aquilo que realmente quero da vida passe por mim...

eu sei que só há um remédio para o medo...
Sei que temos de pegar em nós, e avançar, combater aquilo que nos aterroriza e dar o nosso melhor. Sei que devemos lutar por aquilo que acreditamos e por aquilo que queremos. Compreendo e sinto que devemos ter fé em nós e nas nossas capacidades...
Sei que devo perder as indecisões, expulsá-las para a rua da amargura e seguir em frente!
É sentir aquilo que realmente sou, e enfrentar aquilo que quero ser. É não ter medo de dizer ao mundo que estou viva...
[alive and kicking]



é olhar para a frente e sorrir...
nunca virar as costas...
é andar em frente...
sempre em frente...




i am sick of being IF i want to an IS i want to make it happen, want to show the world who i am,
how i feel,
what i think and see...
i want to be seen and not forgotten...
i want to be...
me!
[with you, starlight, 'cause i found out that,
that's the only way i can be...]