terça-feira, 20 de novembro de 2007

Lights and bullets....

I still love the light on baby
It keeps me awake but I don't mind


- Então gostaste do concerto?
- Gostei... dos concertos...

Everything I always wanted
Is right there but soon it won't be

- Dos concertos?
- Sim... Interpol e Editors...
- Tavas em Interpol? Não te vi...

Oh, if fortune favours the brave
I am as poor as they come
I've got a million things to say
I've got a million things to

- Estava...
eu vi-te... à entrada...

I still love the light on baby
It keeps me awake but I don't mind
Everything I always wanted
Is right there but soon it won't be

- Pois eu vi-te foi em Editors... lá à frente...
- Pois... e estava sozinho...

Oh, if fortune favours the brave
I am as poor as they come
I've got a million things to say
I've got a million things to


- Então podias ter vindo ter connosco!
Era só malta fixe ali...
Informáticos, um pouco passados do juízo, mas malta fixe...

I still love the light on baby
I still love the light on baby
I still love the light on baby
I still love the light on baby

- Pois...
Mas não sabia... fiquei envergonhado...
- Envergonhado?
Porquê?

Oh, if fortune favours the brave
I am as poor as they come
I've got a million things to say
I've got a million things to

- ...
- Mas podias ter vindo...
- Porquê?
- ...

Ahhhh, a million things to say
A million things to say
A million things to say



----------------------------------------
STOP--------------------------------------------------

esta sensação de prisão que perdura em mim e me sufoca...
esta sensação de correr para estar sempre no mesmo sítio...
um vórtex de imagens e memórias que me entristecem e magoam...
tudo se desvanece lentamente...

rapidamente...

encostada a uma porta de vidro a conversar sobre um capuccino...
o olhar pousado em desafio sobre um fundo azul claro...

contesta-me!
não me importa...
eu sou eu...
isto é o que tenho para dar!
sabes o que exigiu de mim dar este passo tão pequeno
que mais parece um abismo sobre o qual tenho de voar?
para chegar ao outro lado...
e para quê?

para sentir esse olhar pousado em mim?
sim...

foi por isso que o fiz...

não o nego!

If something has to change then it always does
If something has to change then it always does

You don't need this disease, not right now
No, you don't need this disease, not right now

Oh you don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease

foi para ouvir essa voz a quebrar o silêncio que mora dentro de mim...
os comentários mordazes que deixas cair como folhas desgarradas perdidas no vento...
para ouvir a paixão com que defendes a tua música...
a minha música...
para me sentir dona desse teu individualismo...
essa tua preguiça em ver a vida...
essa maneira tão alentejana de ser...

If something has to give then it always will
If something has to give then it always will

You don't need this disease, not right now
No, you don't need this disease
Not right now, no, no, not right now

confesso...

foi para me sentir viva no remoinho revolto que são os teus cabelos...
sentir a vida que tanto anseio viver...
mas que me acobardo sempre no último passo...

You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't

Would you fall down
Would you fall down

desabafo...

foi para olhar para esse sorriso...
e sabê-lo para mim...
e egoisticamente senti-lo ser meu...

Oh you don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't know,
won't fall down

digo-te...

foi a coragem que nasceu em mim...
que me fez roubar esse teu momento...
para o tempo passar tão depressa...
tão depressa que os minutos escorregaram pelo meu relógio...
escorregaram pelas palavras que saim dos teus lábios semi curvados....
aquele curvar do principio de um sorriso...
os segundos escorregaram mascarados por um adeus...
nas horas infinitas que a música tocou...
de uma eternidade que soube a pouco...

You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't
You don't need this disease you don't

explico-te...

que me recuso a acreditar de novo....
nessa promessa de chuvas de inverno...

(daquelas que sabe bem estar a ouvir no quentinho de uma lareira...
com o cobertor de sonhos a aquecer-te o coração...)

que me recuso a deixar sequer uma fresta aberta para o frio do inverno entrar...
o medo do calor do verão impede-me de abrir a porta...
não me posso perder no labirinto que tu és...

já estou perdida no meio das nuvens cinzentas de um dia de inverno...
algures no meio de uma tempestade só minha...

e tenho medo de me aventurar em ti...

e me perder novamente em algo que conheço bem demais...


You don't need this disease you don't!


Sem comentários: